Wallber Virgolino critica “esmolas eleitoreiras” e afirma: A polícia não cai mais nessa!

0
1477

As propostas de baixo nível e de última hora para profissionais de segurança pública na Paraíba fizeram despertar a reprovação em mais uma personalidade conhecida no estado. Desta vez, a revolta policial sai da boca do delegado Wallber Virgolino, até o momento o único entre seus pares a se manifestar publicamente sobre a pequenez das ‘ofertas políticas’ às vésperas das eleições.

A pobreza da vez atende pelo nome de Medida Provisória 271/2018, que, resumidamente, ‘beneficia’ agentes de segurança e/ou seus familiares com uma Bolsa Desempenho, se – SE! – esses profissionais vierem a ficar inválidos ou morrerem em decorrência da profissão. Ou seja, é preciso sofrer – e muito! – primeiro, para só depois ter o benefício que passa longe de amenizar esse sofrimento.

Utilizando suas redes sociais para ajudar a ecoar a insatisfação dos policiais com esse tipo de ‘oferta’, Wallber não poupou tinta ao expressar o que pensa.

“A MP 271/2018 que altera o artigo 1 da Lei 9.383/2011, já foi além da crueldade diária, uma vez que ao invés do governo do Estado cumprir a Lei do Subsídio, o qual colocaria ativos e inativos, inclusive os pensionistas recebendo a mesma remuneração, sem cortes ou decréscimos, criou a tal da MP DO ÓLEO DE PEROBA, a PEC DA PEGADINHA, a qual estabelece que em caso de MORTE ou INVALIDEZ, o policial terá direito a sua remuneração na integralidade. RESUMO DA ÓPERA: MEDIDA INÓCUA, POLITIQUEIRA, DESRESPEITOSA E CRUEL. Particularmente, nunca quero precisar dos “serviços” dessa famigerada MP. Precisamos de valorização salarial e de respeito, não estamos atrás de esmolas eleitoreiras, a polícia não cai mais nessa. Assim é DEMAIS!!!!!!”, disse Virgolino.

A presidente da Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba (ASPOL/PB), Suana Melo, também já se manifestou em vários meios de mídia, transmitindo a insatisfação dos profissionais de segurança acerca dessas medidas “raquíticas e de última hora”. Wallber, que inclusive é um dos poucos delegados de polícia filiados à associação dos Investigadores (a Aspol/PB), alinha-se com coragem e coerência à postura da maior entidade representativa da Polícia Civil paraibana.

Como diz o próprio Virgolino, “a polícia não cai mais nessa”.