‘Gilson Beira Mar’ e oito acusados de tráfico permanecem presos pela Polícia Civil

0
190

O trabalho realizado pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), durante a ‘Operação Medelin’ vai manter presos nove acusados de tráfico de drogas na região metropolitana de João Pessoa. Permanecem no Sistema Penitenciário duas mulheres e sete homens, entre eles Gilson Marques Madureira, conhecido como ‘Gilson Beira Mar’, apontado como principal fornecedor de cocaína em pó para as cidades que compõem a região.

De acordo com o delegado Allan Terruel, titular da DRE, as prisões em flagrante e mandados de prisão temporária foram convertidos para mandados de prisão preventiva pela Vara de Entorpecentes da Capital. “Graças a um inquérito robusto que preencheu os requisitos para esse tipo de prisão, o grupo vai ficar atrás das grades por tempo indeterminado durante a instrução do processo. A Justiça entendeu nesta sexta-feira (21) que eles oferecem risco à sociedade e os novos mandados já foram cumpridos”, relata o delegado.

Gilson Beira Mar foi preso pela DRE no mês de janeiro deste ano, quando voltava para a Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice, localizada no bairro de Mangabeira, onde cumpria pena por roubo a instituições financeiras. Outros acusados de envolvimento no grupo de Beira Mar foram presos em ações anteriores.

A Operação intitulada ‘Operação Medelin’ foi desenvolvida em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). “Gilson Marques atuava no campo da construção civil e ficou conhecido por ser gerente logístico de ações criminosas contra instituições financeiras em vários estados do Nordeste. Ele foi preso em 2011 na cidade de Campina Grande e depois transferido para o presídio federal de Mossoró”, explica a delegada Julia Valeska, também da DRE. O preso voltou à Paraíba depois de conseguir progressão prisional, indo do regime fechado para o aberto, e então começou a investir em transações com traficantes.

A prisão em Campina Grande aconteceu no dia 3 de abril de 2011, durante a ‘Operação TNT’. Com Gilson foram encontrados mais de R$ 1 milhão em joias, celulares, armas de fogo, entre outros objetos. Na oportunidade foram cumpridos 11 mandados de prisão e de busca e apreensão, e entre os presos estava a mulher de Gilson, Fábia Sousa Oliveira.
Confira o nome dos presos que continuam no Sistema Penitenciário da Paraíba:

• Roosevelt Antônio da Silva, o ‘Neguinho Beira Mar’ – Unidade prisional PB1;

• Anderson Micherlon de Oliveira Luna – Penitenciária de Segurança Máxima Criminal Geraldo Beltrão;

• Gilson Marques Mendes Madureira, o ‘Gilson Beira Mar’ – Unidade prisional PB1;

• Geraldo dos Santos Oliveira, o ‘Taqueu’ – Penitenciária de Segurança Máxima Criminal Geraldo;

• Leandro Ferreira, o ‘Boquinha’ – Unidade prisional Flósculo da Nóbrega;

• Celene Figueiredo de Queiroz – Penitenciária Feminina Júlia Maranhão;

• Maria José Cavalcante de Oliveira, a ‘Coroa Letícia’ – Penitenciária Feminina Júlia Maranhão;

• Joaquim Martins de Andrade Filho, o ‘Neném’ – Unidade prisional Flósculo da Nóbrega;

• Williams Rodrigues Pereira – Unidade prisional Flósculo da Nóbrega
Ascom – Seds