Estudo mostra que Polícia Civil perdeu quase 60% do efetivo de inspetores e escrivães no Ceará

0
433

Um levantamento realizado pelo Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Ceará (Sinpol/CE) revela a falsa sensação de “reforço no efetivo”, após a realização de um concurso público. De acordo com o resultado da pesquisa naquele estado, nada menos do que 58% dos inspetores e escrivães contratados nos últimos dez anos já saíram da corporação.

Os dados revelam que, na década, o estado convocou 3.489 aprovados nos concursos. Destes, restam apenas 1.488 em efetivo exercício. “Ou seja, 2001 saíram da corporação, o que representa 58% do total de convocados”, afirma o Sinpol.

A entidade declarou ainda que “não adianta fazer seleção pública, se imediatamente após tomar posse as pessoas saem e se de maneira nenhuma o efetivo é reforçado”. O Sindicato atribui essa evasão de policiais à falta de investimentos no setor, o que acaba fazendo com que os investigadores se dediquem a outros concursos públicos.

IMPUNIDADE

A Polícia Civil é responsável pela investigação de crimes os mais diversos. Do homicídio ao roubo de celular na esquina. Todas as ações delituosas em que os autores não são presos em flagrante – ou seja, a esmagadora maioria dos casos – passam a ser objeto de investigação da PC.

Mas com muita demanda e pouco efetivo, o resultado dessa conta tem um nome salgado de engolir: a impunidade.