Sexta-Feira, 23 de Junho de 2017

Publicidade

ASSORAC

Publicada em 05/08/2016 | Autor: QAP

QUANDO NA PB? – Sistema de cogestão prisional tem tendência de crescimento
QUANDO NA PB? – Sistema de cogestão prisional tem tendência de crescimento

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Sistema Carcerário instalada em 2015 ouviu, entre outros representes, Odair Jesus da Conceição, presidente da Reviver Administração Prisional Privada LTDA, empresa fundada no ano de 2012 e que atua gerindo nove unidades prisionais em cinco estados brasileiros.

Durante sua fala, Odair apresentou uma série de vantagens que, segundo ele, o sistema de cogestão (parceria entre os poderes público e privado) oferece no âmbito penitenciário.

De acordo com o representante, o estado desembolsa mais recursos no negócio – cada preso sai por R$ 4 mil nesse modelo, ao passo em que no sistema convencional os custos giram em torno de R$ 2 mil a R$ 3 mil por detento –, porém a certeza do dinheiro bem aplicado seria a grande diferença.

A penitenciária da foto, por exemplo, é o Presídio do Agreste, no estado de Alagoas. Foi inaugurado no ano de 2013, com capacidade para 789 vagas. Comparando com a nossa realidade, seria mais ou menos o dobro da capacidade do Presídio Serrotão, em Campina Grande. E de cara, percebe-se uma estrutura muito mais moderna e eficiente.

A CPI do Sispen ouviu representantes de outras empresas e especialistas no assunto. Pelo que se concebe das conclusões do relatório, o sistema de cogestão entre o poder público e a iniciativa privada tende a se expandir no Brasil.

Quando chegará à Paraíba? 




Leia Também

  1. ESTADO VIZINHO: Polícia Civil prende suspeitos de matar age...
  2. Os ‘sinais’ que dois áudios transmitem em meio às turb...
  3. Wallber Virgolino enfrenta primeira grande ‘crise’ no Si...

Publicidade

Borda Comunicação