Sexta-Feira, 23 de Junho de 2017

Publicidade

ASPOL

Publicada em 21/11/2016 | Autor: QAP

Governador elogia policiais e aplaude o que povo tanto precisa: a boa investigação criminal
Governador elogia policiais e aplaude o que povo tanto precisa: a boa investigação criminal

O governador Ricardo Coutinho (PSB) fez uso das redes sociais para parabenizar a Polícia Civil da Paraíba, de forma especial o trabalho dos dois investigadores que foram até o Rio de Janeiro prender dois suspeitos de matar a jovem Vivianny Chrisley, no dia 21 de outubro, em João Pessoa, crime que ganhou grande repercussão no estado.

Após elogiar o resultado da investigação, o governador conclui dizendo “reconhecer é fundamental”. A Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba (Aspol) também publicou uma nota destacando as prisões.

‘Reconhecer’, na verdade, é o mínimo que se pode fazer. A sociedade brasileira atravessa uma de suas piores crises na Segurança Pública. Consequentemente, é uma sociedade sedenta por Justiça.

Mas para que haja Justiça, é imprescindível que se invista o necessário na investigação criminal. É a boa investigação que dá ao Poder Judiciário os requisitos necessários para a punição a quem comete crimes. Sem investigação não há justiça. E sem justiça não há paz.

É importante que o governador de um estado reconheça publicamente o trabalho de policiais, especialmente num país onde a imagem da profissão carrega uma nódoa difícil de ser removida.

Mas é preciso ir muito além disso. É preciso investir de verdade no setor. Cobrar dos policiais os resultados que a sociedade precisa, mas dar a eles as condições para que isso seja possível. Valorizar uma categoria que, segundo números catalogados pela Aspol, é a que recebe o pior salário do Brasil, mesmo dando à Paraíba um índice de prisões e elucidações favorável no contexto nacional.

O povo quer justiça. O povo quer paz. O povo quer investigação criminal. 




Leia Também

  1. A reunião de ontem e os dois fatores que mostram o crescime...
  2. “A Aspol é quem faz o papel do estado”, diz vice-presid...
  3. HOMICÍDIOS: Dados divergem da tese dos “5% de elucidaçõ...

Publicidade

Borda Comunicação